segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

"CASA DAS PALAVRAS"

"CASA DAS PALAVRAS"

Contigo os meus olhos não te largam
Não te deixam, viajar para longe de mim
As minhas lágrimas, precipitam-se abruptamente
Dou-te um tempo, para reencontrar-te
Dou-te um beijo, um abraço na alma
Noite eterna que esqueceu-se de esperar
Como se não fosse fácil acreditar
...........Tal como o amor, o tempo
Pode não ser mais que um mercador de palavras.
Nada sente na sua loucura estilhaçada.
Nem as pedras dos distraídos
Onde alcançarão os vidros partidos das janelas
.........Sem vidros, sem portadas
Numa casa abandonada por todas as palavras
A minha mão cravou na tua, porque não quer que tu vás.
..............Tocou na tua alma
Onde perco-te nessa imensidão de felicidade.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

"DESTINO"

"DESTINO"

Mais uma noite de espera
Pois o meu destino é amar-te.
Olho o espelho do nosso quarto
E vejo refletido o teu rosto
Viajo na amplidão de meus anseios
E ouço a tua voz em devaneios.
Fica na minha pele e não só, nos meus desejos
Quero fundir-me contigo
Perder-me nos teus braços e que dure para sempre
Fica com a minha ternura nas tuas mãos
Beija-me com carinho para que seja eterno
Deixa-me amar a tua alma
Quero viver cada momento, cada segundo
Cada minuto com o bater do teu maravilhoso coração
Mais uma noite à tua espera
Pois o meu destino é ser amada!

 Isabel Morais Ribeiro Fonseca

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

"RELER-TE"

"RELER-TE"

Quero escrever letras engarrafadas
Fazer um poema no teu corpo
Com a ponta dos meus dedos
Seres sempre o meu poema predileto
Onde eu gosto de ler-te e reler-te
Em cada verso que faço
Afinal moras na margem esquerda do meu peito
Onde permaneces inteiro
No final se recortares em pedaços
Cada palavra que escrevo
Irás encontrar o teu nome
Escondido em cada letra do meu poema
Porque é assim que o teu corpo escreve no meu
O significado das palavras
Páginas escritas para sempre
Onde posso folhear os teus livros de letras minhas
Escrever um poema no teu corpo
Sem ser uma tatuagem permanente!

Isabel Morais Ribeiro Fonseca