segunda-feira, 30 de setembro de 2013

QUEM AMA


 QUEM AMA

Quem ama não trai e não mente.
Quem ama é paciente e confia
Amar é a virtude que poucos têm
Eles não ouvem as rosas chorar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

domingo, 29 de setembro de 2013

CAMÉLIAS

CAMÉLIAS

Camélias lindas
Belas
Charmosas
Orvalho da noite
Frescas
Sedosas
De todas as cores
Perfumadas
Aroma suave a romance
A paixão
Traz-me camélias meu amor

Isabel Morais Ribeiro Fonseca.



sexta-feira, 27 de setembro de 2013

MINHA MÃE

MINHA MÃE

Mãe eu preciso falar-te de amor
Da minha gratidão.
Bendito o dia em que eu nasci de ti
Minha querida mãe
Louvado seja Deus porque tu és
A minha querida mãe
Quero beijar-te e abraçar-te mãe.
Abrir os meus braços para abraçar-te
E para sorrir-te e dizer-te que amo-te mãe
Os momentos que passamos juntas eu não esquecerei....
Nunca, minha linda e querida mãe

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

SENHOR

SENHOR

Senhor......Hoje ao chegar ao meu quarto
Olhei para ti senti saudades
Já não falamos à horas
Quero pegar-te ao colo e dizer-te
Que eu amo-te e que andas no meu coração.
Quantas pessoas sentem a angústia
Sofrem e sentem a solidão
Senhor tira a angústia e a solidão de todos nós.
Quero pegar-te ao colo meu amado
Com os teus braços na cruz e pedir-te perdão
Perdão tu sabes que eu amo-te
Tu sabes que eu não sei viver sem ti..
Meu doce e querido Jesus.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

"GRITO DA NOITE"

"GRITO DA NOITE"

Grito de dor que sufoca o meu coração
Neste silêncio da minha alma
Grito na noite no meio da escuridão
Onde os meus olhos anseiam por ver a tua luz
Perdi-me num mundo repugnante e sombrio
Preciso de ajuda não consigo voltar, sair
Sinto-me presa as correntes sombrias
De um mundo frio que fascina-me
Já não consigo sentir mais o calor do teu amor
Esqueci as palavras que deixei de sentir.
Minha alma grita de dor, de mágoa..
Os meus pensamentos levam-me para longe de ti
Faz-me voar com o vento
Sou como um pássaro que precisa voar
Dá-me um simples abraço.
Abraça-me como fazias antes
Consola-me como era antes
Ama-me como sempre amaste
Quero voltar a sentir teu amor
Sentir teu calor, a tua boca
Preenche este vazio que domina-me por inteiro
Preciso do teu toque, quero voltar a sentir-te
Nunca me deixes só
Não vês que as minhas lágrimas
São como a chuva que cai suavemente..
Num temporal,numa tempestade por cima do mar
Elas correm pelo meu rosto, com a dor no meu coração
Cada dia que passa sinto-me a ficar sem forças
Neste silêncio da minha alma, grito na noite no meio da escuridão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

Ser mãe é amar.....amar e amar.

Ser mãe é amar.....amar e amar.

Isabel Ribeiro Fonseca.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

FRASE- Horas de inverno ou de verão...

Horas de inverno ou de verão...horas de mãe do coração....!

Isabel Morais Ribeiro Fonseca.

SEM PALAVRAS

SEM PALAVRAS

.......Sem palavras.
Apenas um momento
Hoje vivo no silêncio das fragas
Uma melodia de amor
Desgastada pelas lágrimas de dor
Um olhar apaixonado
Invadida pelo musgo da serra
Uma lágrima no silêncio
Em lembranças que insistem voltar
Um nascer de um amor
E no qual o poeta perdido nos versos
Poemas de amor, de fadas, de solidão
Que é muitas vezes vencidas em tentativas
Frustrantes avassaladoras.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca.

"ROSTO"

"ROSTO"

Mergulho na noite
Deserta e sombria
Quero encontrar teu rosto
Vou ficar à tua espera
A um só tempo para viver
De sentir a angústia de perder-te
Quero viver a alegria de encontrar-te
É tão intenso o meu desejo
Que amar-te talvez seja pouco
Faço silêncio deste amor que me consome
O corpo, a mente, a alma
De entrelaçar as entranhas do seu ser
Mergulho na noite fria desta noite
Perdida de ti, a procura de ti.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

TU MULHER

 TU MULHER

Tu és mulher és uma sublime obra de Deus
Tela completa do óleo da vida
És maravilhosamente bela
Amada, amante e companheira
Um porto seguro, bússola de nossas vidas
Mãe, guerreira, forte, segura
Sábia que muito nos ensina
Com a sabedoria dos anjos
Dos trilhos, caminhos certos
Que desvia-nos dos incertos
As suas mãos que afagam
No seu colo sentimos o aconchego
Tem o aroma de variados perfumes
Tu mulher és um cheiro adorável do colo de Deus.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

"ESTRANHA TALVEZ"

 "ESTRANHA TALVEZ"

Acho-me estranha
........Gosto da solidão
Guardo segredos
.......No coração
Gosto do silêncio
.......Dos dias sol
Viver sem limites
.........Quanta tristeza
Há nesta vida
.........Só incerteza
Das noites frias
........Das canções tristes
Da chuva forte
........Respeito a morte
Mas fujo dela
........Só despedida
Nada é certo
.........Olhar perdido
Amor sincero
.......Fiel honesto
Partida, chegada.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca.

Flores belas para ti....


Anjo meu amigo...


Ame e seja feliz..


AMOR AMOR 🌷

AMOR AMOR🌷
.
Amor amo-te no meu silêncio....
nem as flores do meu jardim sabem....
Quem diria que o perfume das rosas seria....
o meu destino até ti.....
Nem as estrelas sabem...
de mais uma noite triste e silenciosa....
Nem a lua que se vê tão transparente...
sabe do meu amanhecer solitário......
Amo-te em silêncio,sem palavras,
sem gestos,sem que o vento...
e a chuva saibam,
Só o meu silêncio que corta as dores,
da minha alma....só eu sei...
que ninguém sabe...que existem.!!


Isabel Morais Ribeiro Fonseca.




SECAR

 SECAR

Não deixe secar o seu coração...
Regue o seu jardim
As suas flores
Porque na sua solidão
Na sua velhice
Elas serão a sua companhia
E as suas verdadeiras amigas.

Isabel Morais Ribeiro  Fonseca.

AMA-ME

AMA-ME

Ama-me intensamente
Quero afogar-me nos teus braços
Mergulhar e descobrir
Os mistérios do teu corpo
Sentir-te e redescobrir o aroma do amor
Sacia a minha fome a minha sede..
Aquece-me por dentro meu querido
Porque meu amor
Eu sou tu e tu és eu, juntos somos um só.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca.

SOU ASSIM

 SOU ASSIM

Eu sou assim
Completamente
Apaixonada por ti
Não sou dona dos meus desejos
Quando estou contigo,
Fico a olhar-te e a desejar-te
Gosto de sentir
Sinto as lentas, das tuas mãos
Que deslizam sobre a minha pele nua.
Estremeço
Sussurro-te
Ama-me
Meu amor faz-me tua
Como num conto de fadas
Em que tu és o meu cavaleiro e eu a tua amada.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca