domingo, 16 de fevereiro de 2014

PASTOR DE SONHOS

 PASTOR DE SONHOS

Passa o pastor destruidor de sonhos
Como um marinheiro com o barco
Encalhado de remorso e cobiça
Banhado no vinho da dor, da luxuria
Onde o cálice do medo enfiasse
Uma estaca no meu coração
Lambendo as minhas dolorosas feridas
Deus como dói
Salva-me e da um nome para a dor
As ervas daninhas crescem no meu caminho
Malditos todos aqueles que infectaram a minha alma
Deturparam as minhas palavras, estou cansado
Tira-me as correstes que esmagam o corpo
Deus como dói
Não quero ser pastor destruidor de sonhos.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca