quarta-feira, 16 de abril de 2014

" TEMPESTADES LIVRES "

"TEMPESTADES LIVRES "

Tempestade...tempestade livre e solta
Hoje até o mar está revolto
E as ondas sobem até ao topo
Das ramagens.....desgrenhamentos
Sua volta arrebenta nas areias mornas
Precisam de apreciar o vento
O choro vai até à água triste.
Longo vento, onde vem morrer no coração.
Batendo nos meus cabelos soltos
Os olhos contemplam os pensamentos
Corro na areia..... mergulho na água pura
Libertando-me das tonturas...loucuras
Imagem.....poder dos sentidos.
Abandonando a razão
Embriagando-se de si mesmo
De um amor que estou à procura...coberto de doçura.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca