quarta-feira, 26 de novembro de 2014

"TEMPO"


"TEMPO"

As manhãs explodem...
Num inferno feitos de silêncio.
Onde os estilhaços são flores.
Sombras de pétalas perfumadas.
Feitas de ruínas...
Inacabadas de desistências do meu ser.
Olho o céu.
Sorrio para o vento.
Choro para chuva.
Acaricio o tempo
Onde desnudo-me de palavras.!

Isabel Morais Ribeiro Fonseca