quarta-feira, 30 de outubro de 2013

"SOLIDÃO DOS PRANTOS"

"SOLIDÃO DOS PRANTOS"

Na solidão, dos meus prantos
Escrevo versos, orações, poemas
Desabafos com sentimento
Com alma de quem ama ou amou.
Mansos e bravos entre rios e mares
O poeta escreve histórias muitas vezes
Dele próprio, com dor, saudade e paixão
Segredos que só ele sabe e conta
Em poemas escritos e vividos de solidão
De amor, de perda, escritos na escuridão
Mesmo assim sente os lírios
As campainhas, as violetas, as rosas
As orquídeas que germinam na terra fértil
E no areal sedoso fértil de esperança
De saudade, de amor
Onde as ondas do mar rebentam nas rochas.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca