quinta-feira, 6 de março de 2014

"ESPREITA ESCREVE"

"ESPREITA ESCREVE"

A morte está sempre à espreita.
O amor rejeita viver sem paixão.
A paixão liberta o desejo sedutor.
O respeito gosta de ser conquistado.
O vento leva para longe a dor do pensamento.

A chuva lava as lágrimas deixadas de dor.
A tempestade deixa marcas de sofrimento.
A mente absorve o mundo na sua beleza.
Os livros danos a liberdade de sonhar e viver
As mãos escrevem a dor do corpo e da alma..

Isabel Morais Ribeiro Fonseca